top of page
ABF Developments - Construtora e Incorporadora de alto padrão | Porto Alegre - RS

Blog

Tendência na arquitetura, retrofit preserva o patrimônio histórico de uma cidade propiciando novo us

Surgido na Europa, mais especificamente em Paris, e nos EUA, primeiramente em Nova York, o conceito retrofit é uma solução bastante utilizada hoje para revitalizar edificações antigas ou históricas

A técnica propicia novo uso ao local, tanto no que tange à recuperação quanto em razão de necessidades do momento, preservando culturalmente e ou tecnicamente as estruturas prediais já existentes. No Brasil, o retrofit começou a ser muito difundido de alguns anos para cá, transformando hotéis de grandes centros urbanos em residenciais compactos, conservando as características originais dos prédios, obviamente.

Com isso, o conceito vem sendo aplicado cada dia mais também em construções destinadas à moradia fixa. E, seguindo a tendência, a Incorporadora ABF Developments, que tem a preservação do patrimônio histórico e cultural da capital gaúcha como um de seus pilares construtivos, faz uso da técnica em alguns de seus empreendimentos: o Magno Moinhos, premier senior living, no Bairro Moinhos de Vento, e o 4D Complex House, complexo multiuso, no Bairro Floresta, no 4º Distrito.

“Entre meus princípios está, sobretudo, respeitar parte humana que a arquitetura pode transmitir para as pessoas.” Amanda Fratin Kreling, arquiteta de interiores, saúde e hotelaria do Magno Moinhos

“Nossa ideia não é contar outra história e sim preservar a memória existente, sendo esse meu norte neste projeto.” Francisco Pinto, arquiteto de interiores do galpão do 4D Complex House

Magno Moinhos – Integrado ao prédio que será construído, na Rua Gonçalo de Carvalho, uma das mais arborizadas de Porto Alegre/RS, no Bairro Moinhos de Vento, está a casa unifamiliar da década de 1940/1950, assinada por um arquiteto alemão, a qual seguirá sendo usada como atividade residencial. No local, funcionará a parte de convivência comum entre os moradores, o que quer dizer a área social, com living, spa, piscina, atelier de artes, salão de beleza, entre outros ambientes.

A arquiteta de interiores, saúde e hotelaria do empreendimento, Amanda Fratin Kreling, contou que inicialmente no projeto estava previsto que no casarão funcionasse a parte de serviço do senior living. “Quando cheguei para visitar o local, imediatamente percebi a beleza construtiva e o potencial que esta edificação poderia trazer para o empreendimento. A partir daí, eu e a equipe de profissionais envolvidos partimos para projetar seu retrofit. Nosso trabalho consiste em preservar ao máximo a estrutura e estética da casa, porém adequando- a às necessidades e modo de vida atual.   As estruturas condenadas serão substituídas, respeitando as demais restauradas.

Já no interior da residência, será instalado elevador, propiciando acessibilidade aos seus habitantes. O piso de ladrilho hidráulico existente será preservado, sempre com a ideia de conservar ao máximo o que já existe no local, como é o caso da pavimentação hidráulica que não será mexida. “Onde não se conseguir arrumar será utilizada uma técnica que não seja de imitação ao que já está ali feito. E sim será colocado algum material complementar atual e diferenciado para que fique claro que não se tentará imitar o passado e sim respeitá-lo”, comentou Amanda.

A arquiteta evidenciou que na parte física da casa serão feitas poucas intervenções. Algumas paredes serão demolidas para proporcionar maior integração dos espaços destinados aos livings, assim como serão reaproveitados todos os cômodos existentes para as atividades especializadas como as salas beauty e ecumênica, atelier e spa.  “Estamos modernizando e adequando a residência para os dias atuais ao novo uso de convivência social para os moradores”, ressaltou.

No local, a arquitetura de interiores foi pensada para proporcionar bem-estar, aconchego e segurança ao seu público. Assim, uma mescla de arquitetônica moderna com pinceladas do estilo clássico estão evidentes no projeto. Serão utilizados bisseries e papel de parede com textura características das décadas de 1940 e 1950, além de móveis modernos, que elegantemente contrapõem com itens tradicionais e de antiquário. “Com isso, faremos uma releitura, conectando o idoso que morará no Magno Moinhos com essa identificação da época”, disse ela.

“Sempre pensamos que o uso da casa tem de trazer integração social para os ocupantes, com vida, felicidade e bem-estar. Além de muita integração, não só entre quem estará morando e sim com o público externo, como os familiares dos habitantes do sênior living quando forem visitá-los, sendo o Magno Moinhos realmente o lar de cada um.” Amanda Fratin Kreling, arquiteta de interiores, saúde e hotelaria do Magno Moinhos

4 D Complex House – O prédio de unidades compactas e modernas e de arquitetura escalonada, vanguardista e descolada terá um charme à parte: o galpão histórico e centenário, que fará parte do empreendimento, e que abrigou a antiga Companhia Fábrica de Vidros Sul-Brazileira, a segunda empresa do gênero no Brasil. No pavilhão, que será totalmente integrado ao residencial, na Rua Almirante Tamandaré, no Bairro Floresta, funcionará um Food Beer Hall, com atividades de gastronomia, entretenimento, lazer e cultura, trazendo realmente um novo rosto àquela área da Capital, chamada 4º Distrito.

O arquiteto de interiores, Francisco Pinto, norteou o projeto do galpão tentando preservar ao máximo o que já existia no local. Assim, a fachada do prédio foi praticamente toda conservada, sendo apenas restaurada, mantendo toda característica industrial da época em que foi erguido, deixando inclusive a pintura na cor original, de cimento. “Agregamos elementos à construção, como toldos, esquadrias coloridas, na cor vermelha, além da calçada que foi totalmente renovada”, disse.

No interior do pavilhão, a estética foi completamente preservada, mostrando, igualmente, as paredes manchadas em razão dos longos anos de utilização do local como fábrica. “O propósito foi ser verdadeiro à história original, qualificando e mantendo a linguagem industrial do período”, frisou Pinto.

“O que nos diferencia não é o bem-feito e sim a imperfeição, nos deixando únicos. As paredes do galpão contam essa história, desde quando funcionava a pleno vapor a Companhia Fábrica de Vidros Sul-Brazileira, até o abandono da atividade industrial no ambiente.” Francisco Pinto, arquiteto de interiores do galpão do 4D Complex House

Imagens em perspectiva: ABF Developments/Divulgação

Vista aérea do Magno Moinhos

Living do Magno Moinhos

Casarão histórico – área social do Magno Moinhos

4D Complex House – fachada para Rua Voluntários da Pátria

4D Complex House – vista de cima com Bulevar

Yorumlar


bottom of page